Avaliação da autoeficácia e tentação em dependentes de cocaína/crack após tratamento com o modelo transteórico de mudança (MTT)

Andressa Celente de Ávila, Marina Balem Yates, Dhiordan Cardoso da Silva, Viviane Samoel Rodrigues, Margareth da Silva Oliveira

Resumo


O modelo transteórico de mudança (MTT) auxilia na mudança de comportamento, como o uso de drogas, e do qual fazem parte a autoeficácia para abstinência, tentação para uso de drogas e os processos de mudança. Este artigo teve como objetivo comparar a autoeficácia e tentação após intervenção com o MTT em dependentes de cocaína/crack, e a relação dos conceitos com os processos de mudança. Utilizou-se uma análise de dados secundários, onde participaram 39 dependentes de cocaína e/ou crack, homens e mulheres com os instrumentos: protocolo de entrevista, WAIS-III, MEEM, DASE, TUD e EPM. Houve aumento da autoeficácia e diminuição de tentação após intervenção com o MTT, e encontrou-se que quanto mais autoeficácia e menos tentação mais eram utilizados os processos comportamentais autodeliberação, contracondicionamento e relações de ajuda. Portanto, a intervenção com MTT provocou efeitos esperados que proporcionam mudança no uso de cocaína/crack aliada à maior autoeficácia e menor tentação.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN: 1981-1330

DOI 10.29327/226091