Da Derivada Clássica à Derivada Fraca: um Estudo com Base na Decomposição Genética dos Conceitos

Janice Rachelli, Vanilde Bisognin

Resumo


Neste artigo apresentamos resultados de uma investigação realizada com estudantes brasileiros de um curso de mestrado em ensino de Matemática que objetivou analisar como se dá a compreensão do conceito de derivada fraca. A teoria APOS foi utilizada na pesquisa como referencial teórico e metodológico. Para tanto, seguimos os passos da metodologia de pesquisa proposta pela teoria: Análise teórica, Planejamento e implementação e Coleta e análise de dados e utilizamos o ciclo de ensino ACE como metodologia de ensino no desenvolvimento de atividades em sala de aula. Os dados obtidos, por meio dos registros dos alunos e das observações anotadas no diário de campo, nos permitiram identificar mecanismos mentais de abstração reflexionante e o desenvolvimento de estruturas mentais utilizados pelos estudantes na construção do conceito de derivada fraca. Além do mais, há evidências de que as atividades propostas facilitaram a compreensão do conceito de derivada fraca.


Palavras-chave


Derivada clássica; Derivada fraca; Teoria APOS; Decomposição genética

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.17648/acta.scientiae.v20iss5id4614

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Janice Rachelli, Vanilde Bisognin

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexações:

A Acta Scientiaeé indexada em:
Scopus logoScopusLatindex logoLatindexedubaseEdubase (SBU/UNICAMP)
Sumarios.org logoSumarios.orgGoogle Scholar logoGoogle ScholarPortal Livre (CNEM) logoPortal LivRe (CNEM)
Journals for Free logoJournals for FreeREDIB logoREDIBGaloá DOIGaloá DOI

Creative Commons License
Todos os trabalhos publicados aqui estão sob uma licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.